J-D---coletiva

Governo estadual recua na flexibilização da fase de transição do Plano São Paulo que aconteceria a partir da próxima terça-feira (01). O pronunciamento foi feito hoje (26), durante coletiva de imprensa. Assim, o horário do comércio não se estenderá até as 22h e a capacidade permitida não subirá para 60%. 

A medida foi tomada por causa da escalada dos novos casos de covid-19, e ficará ativa até o dia 13 de junho. O número de internações voltou a ficar acima de 80%. 

Em Mogi Guaçu o horário continuará até as 21h para a maioria das atividades e até as 22h para bares, restaurantes, shoppings e boulevard.

O diretor do Centro de Contingências do Coronavírus, Paulo Menezes, justificou a medida: “Houve um aumento na incidência de casos, estávamos com 370 casos por 100 mil a cada 14 dias, hoje temos 418 casos por 100 mil, um aumento de 10% nessa incidência. O aumento no número de internações é mais discreto, felizmente”. 

O presidente da ACIMG (Associação Comercial e Industrial de Mogi Guaçu), Edson Bombo, lamentou a notícia: “É triste os empresários e parcela da população continuarem pagando pela falta de consciência, e pode-se dizer, falta de educação daquela parte da população que não respeita as medidas que estão sendo divulgadas a mais de um ano, como o distanciamento social e evitar aglomeração. Mas vamos continuar firmes lutando”, afirmou Bombo.

Funcionamento das atividades até 13 de junho

  • Atividades comerciais: atendimento presencial entre 6h e 21h;
  • Atividades religiosas: atividades presenciais individuais e coletivas, entre 6h e 21h;
  • Serviços gerais (cultura, salões de beleza, academias): Atendimento presencial entre 6h e 21h;
  • Bares, restaurantes, shoppings e boulevard: atendimento entre 6h às 22h;
  • Até 40% da capacidade de ocupação dos estabelecimentos;
  • Toque de recolher de 22h às 5h;

Imagem: Site do governo Estadual